Conto: Limbo

“É mais ou menos como o Limbo.

Você já deve ter visto aquele filme do Di Caprio. Aquele, dos sonhos. Pois é, ele existe, o Limbo. Só que em vez de ser a parte mais profunda dos sonhos, do subconsciente das pessoas, na vida real ele é a parte mais obscura dos seus piores pesadelos. E povoado por uns malucos muito conscientes. Bem, depende do que você chama de consciência…

Enfim. É pra lá que eu estou indo esta noite, novamente. Por quê, você me pergunta? Para caçar.

Continuar lendo