Resenha: Precisamos falar sobre o Kevin

Confesso que não sei muito bem como começar.

“We Need to Talk About Kevin” (título original) mexeu muito comigo. A verdade é que o filme foi muito além do que eu esperava, tanto na própria história como nas atuações, mais geniais do que já era de se esperar da Tilda Swinton e do novato-prodígio Ezra Miller.

Tilda Swinton2

Esse é o tipo de filme que deixa um grande “por quê” na sua cabeça, o tipo de filme que não se preocupa em dar um motivo. A razão de tudo está ali, em algum lugar, respondido nas entrelinhas pelo próprio Kevin, em sua ousadia insana, na promiscuidade dos olhares, na monstruosidade inata e, principalmente, em seus sentimentos (que sim, eu acredito que ele tenha). Tudo isso responde a pergunta final de sua mãe, Eva: Por quê?

Mas nós precisamos responder por nós mesmos. Eu precisava responder essa pergunta internamente, também. E agora eu simplesmente PRECISO falar sobre o Kevin. Preciso falar e não vou me preocupar muito com SPOILERS, então leia por sua conta e risco. Continuar lendo

Anúncios